Mensagem Final

Categoria Pai: Geral

Mensagem final da VII Gincana Solidária 2011

 

Mais uma vez nosso objetivo foi alcançado na proposta da gincana escolar.

Nossos alunos brincaram, trabalharam em grupo, interagiram, refletiram, e com certeza levaram a idéia da aceitação do outro como um caminho para a construção de uma cultura de Paz dentro da escola e no mundo.

Desenvolvemos nas tarefas da gincana solidária o processo inclusivo entre jovens e crianças em propostas diversas, levando os valores da cultura de Paz para a vida cotidiana de nossos alunos.

Este ano nosso tema foi “Vivendo valores na educação... por um mundo melhor”, onde trabalhamos alguns pilares da Educação do futuro – aprender a conhecer e a viver junto e alguns dos seis princípios do Manifesto 2000 da UNESCO, como ser generoso, ouvir para compreender e rejeitar a violência.

Na proposta de solidariedade deste ano, nos mobilizamos para arrecadar potes de vidro com tampa plástica para o Banco de leite Humano do Hospital Geral de Itapecerica da Serra. Criamos uma rede de solidariedade ampliando as práticas cotidianas de generosidade, compreensão, respeito à vida e à diversidade cultural.

Nesta prática estamos ajudando a “salvar vidas” e é esta a idéia que queremos deixar na mente de nossos jovens e crianças.

 

Coordenadora do Setor de Educação Física/ Mônica S. Gutierrez e

Professor Pedro Barbosa

“Educar para a Paz requer o “querer bem” dos aprendizes. Não há educação sem transformação. Não há mudança sem encontro, acolhimento e espaço de partilha. Envolve, enfim, uma mudança profunda em nossos sistemas de pensamento e de ensino, pois não se preocupa apenas com a transmissão de saberes, mas com a formação de uma nova maneira de ser.”

Vivo em paz

Não tente me provocar, a sua raiva não me aborrece, só me preocupa, porque a raiva vai adoecer você...
Não procure me ofender, eu cresci o bastante pra não ter mais dúvida sobre mim mesma.
Não me chame pra briga, que eu não vou atender.
O meu tempo é precioso e nele não cabem desavenças.
Se você não gosta de mim e quer brigar, eu entendo, mas não conte comigo.
Eu estou ocupada sendo feliz.
Se você gosta de mim e quer brigar, eu não entendo, mas aceito...
Só presta atenção pra não me magoar. Isso, sim, me entristece.
Vamos deixar disso, então.
Já briguei muito, já magoei, já ofendi...
Mas não fiquei nem um pouquinho melhor com isso.
Venho me curando da vontade de brigar, desde que aprendi a calar.
Então, se você gritar, só vai escutar o meu silêncio.
Se seguir ofendendo, eu me retiro.
Se insistir na raiva, que pena...
Só você vai sofrer.
Ok, pode dar a última palavra, ganhe a disputa!
Eu não me importo de ceder à vez.
Eu escolho viver em paz.
Vamos deixar disso, então?

(Lena Gino)